There was an error in this gadget

Wednesday, January 18, 2012

Insights about Sao Paulo to Florianopolis by Bicycle - Percepções sobre a viagem de bicicleta de São Paulo à Florianópolis


Insights about Sao Paulo to Florianopolis by Bicycle
Dia 25 dezembro 2011 - by Luciene.



Some days have passed since we completed our bicycle journey and some insights came up in my mind. It is a good time to reflect about what I done.
Since I was 24 years old I started to travel to different parts of the world. I did alone the majority of my trips maybe because it is always difficult to get people with the same wishes you have and mainly because the people’s time is different. It is difficult to conciliate the free time of the friends. The fact of being a single woman can facilitate things but, on the other hand, could be a hindrance to travel around but it wasn't.

Talking specifically about this bike journey I felt myself as a winner. This time I wasn’t alone. I was invited to be part of a personal project and it was a lovely experience. After read all e-mails of my family and friends I realized that I did something difficult or, at least, uncommon. It wasn’t really difficult for me. I don’t know explain why but I have some clues about this:
- adventure is inside me
- freedom is my soul
- physical challenges always attracted me
- external trips are truly for internal development
When I try to remember about each day that we had, I remember the heat, the pain in my legs and in my knees but mainly about the wind in my face, the songs I heard, the smiles, the good connection with my partner, about crying because of stressing moments with my partner but also on our attempts to make things be better. I remember the long hills to ride up but also the freshness of chilled water from the waterfall that brought me relief and energy to move on. I remember the pleasure of the good showers after a day of dust and pollution. The good bed to sleep in the very simple hotel on the road. I remember the pleasure of sharing good music, song videos, good lunches and dinners and conversations we had after a long day riding the bicycle.
This type of travel changes my feelings and always makes me think about the way I understand the people and the world. When I am in trips like this I feel like being myself without rules or pressure. I feel myself comfortable, I respect and listen to my feelings.
Do you know what? I found a good way to get my balance. I feel myself part of the universe and I can’t imagine anything going wrong because the connection is intense and real.
I wish that people can find things to help then to connect with themselves and I am sure they would be happier as I feel today! 
I think I will never stop!

Percepções sobre a viagem de bicicleta de São Paulo à Florianópolis
25 de dezembro de 2011 - por Luciene.

Alguns dias se passaram desde que nós completamos nossa viagem de bicicleta e algumas percepções vieram em minha mente. Este é um bom momento para refletir sobre o que eu fiz.
Desde meus 24 anos de idade eu comecei a viajar para diferentes partes do mundo. Eu fiz sozinha a maioria das minhas viagens, talvez porque é sempre difícil conseguir pessoas com os mesmos desejos que você tem e, principalmente, porque o tempo das pessoas é diferente. É difícil conciliar o tempo de férias dos amigos. O fato de ser uma mulher solteira pode facilitar as coisas, mas por outro lado, pode ser um obstáculo para viajar por aí, mas isto não foi.
Falando especificamente sobre esta viagem de bicicleta eu me sinto uma vencedora. Desta vez eu não fui sozinha. Eu fui convidada para fazer parte de um projeto pessoal e esta foi uma experiência encantadora. Após ler todos os e-mails de minha família e amigos eu me dei conta que fiz algo difícil ou, pelo menos, incomum. Isto não foi realmente muito difícil para mim. Eu não sei explicar porque, mas eu tenho algumas dicas sobre isto:
- aventura está dentro de mim
- liberdade é minha alma
- desafios físicos sempre me atraíram
- viagens externas são na verdade para o desenvolvimento interno
Quando eu tento me lembrar sobre cada dia que nós tivemos eu me lembro do calor, da dor nas minhas pernas e meus joelhos, mas principalmente sobre o vento na minha face, as canções que escutei, os sorrisos, a boa conexão com meu companheiro, sobre o choro por causa dos momentos estressantes com meu companheiro, mas também das nossas tentativas para fazer as coisas serem melhores. Eu me lembro das longas montanhas para subir, mas também do frescor da água gelada da cachoeira, que me trouxe alívio e energia para seguir. Eu me lembro do prazer dos bons banhos após um dia de poeira e poluição. Da boa cama para dormir no hotel mais simples da estrada. Eu me lembro do prazer em compartilhar boa música, vídeos de músicas, bons almoços e jantares e bate-papos que tivemos após um longo dia pedalando a bicicleta.
Este tipo de viagem muda meus sentimentos e sempre me faz pensar sobre a forma que eu entendo as pessoas e o mundo. Quando estou em viagens como esta eu me sinto sendo eu mesma, sem regras ou pressão. Eu me sinto confortável. Eu respeito e escuto os meus sentimentos.
Você sabe o quê? Eu encontrei uma boa maneira de conseguir o meu equilíbrio. Eu me sinto parte do universo e eu não posso imaginar nada dando errado, porque a conexão é intensa e real.
Eu desejo que as pessoas possam encontrar coisas para ajudá-las a conectarem-se consigo mesmas e eu estou certa que elas seriam mais felizes como eu sinto hoje! Eu acho que eu nunca pararei!

No comments:

Post a Comment